Opinião: Série – The Blacklist

The_Blacklist_logo.svg

Sinopse:
Raymond Reddington, um dos criminosos mais procurados pelo FBI, entrega-se às autoridades. Promete entregar diversos criminosos e terroristas desde que trate somente com Elizabeth Keen, uma funcionária novata do FBI. Aparentemente não há ligação entre eles e ele também não revela o motivo dessa preferência.

Ele revela o nome de um criminoso internacional e seu plano de sequestro da filha de um militar americano. A informação é comprovada, sendo este apenas um dos nomes que integram uma lista que Reddington chama de Blacklist.

Segundo ele, criada ao longo de mais de vinte anos, esta lista contém políticos, mafiosos, hackers, espiões e criminosos de alta periculosidade que nem o FBI sabe da existência, tornando a famosa lista dos foragidos mais procurados pelo FBI mera peça de publicidade.

Entretanto, para divulgar outros nomes, ele impõe algumas condições como utilizar um rastreador implantado no seu pescoço, segurança e imunidade legal, mas principalmente, tratar somente com a agente Keen. Tanto o FBI como Elizabeth, mesmo relutantes, passam a agir conforme as revelações de Reddington.

separador

Se tem uma coisa que eu AMO são séries policiais, amo mais que romance, mais que qualquer outra coisa. Fazia um tempo que via falarem da série The Blacklist, mas estava lá, naquela lista de “um dia verei”. Depois da indicação de uma amiga resolvi arriscar e na última sexta-feira assisti ao episódio piloto no Netflix e domingo à noite tinha terminado a primeira temporada, com 22 episódios.

É simplesmente VICIANTE. Eu tenho uma relação complicada com anti-heróis. Amo o Dexter, odeio o Walter White e “respeito” o Frank Underwood (o cara não vale nada, mas sabe muito). Por conta disso Red (interpretado magnificamente pelo James Spader, que nada lembra o galã dos anos 90) não é o meu personagem favorito da série. Complicado gostar de um personagem que a gente não pode confiar e nunca sabe o que esperar.

A (pelo menos para mim até então) novata Megan Boone está muito bem no papel da Agente Keen e conquista o posto de personagem favorita junto com o agente Ressler (interpretado por Diego Klattenhoff), que mesmo tendo quase sempre a mesma expressão carrancuda foi responsável pela maioria das cenas emocionantes. A dinâmica dos dois está muito boa, e mesmo com várias cenas previsíveis – por exemplo, toda vez que alguém está quase matado a agente Keen o Agente Ressler aparece e mata o bandido, TODA vez – não tem como não ficar ansiosa e nervosa com as cenas de ação.

Com vários personagens secundários excelentes toda a trama está bem amarrada e os casos são sempre muito inteligentes. Como sempre tem o agente nerd me conquista, o marido foi uma surpresa (sem dizer se uma surpresa boa ou ruim), e principalmente a quantidade de participações especiais de grandes nomes como Isabella Rosselini, Alan Alda, Jennifer Ehle, Justin Kirk, Dianne Wiest, Linus Roache, David Zayas e muitos outros.

Confira o trailer:

Nota 10 e que venha a próxima temporada!

Por Mirela

2 pensamentos sobre “Opinião: Série – The Blacklist

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s