Resenha: Fingindo – Cora Carmack

resenha_fingindo

Sinopse:
Por quanto tempo você consegue prender alguém?
Meu nome é Cade Winston. Aluno de mestrado em belas-artes, voluntário, abraçador de mães e seu namorado pelas próximas vinte e quatro horas. Prazer em conhecê-la.
Com seus cabelos coloridos, tatuagens e um namorado que combina com tudo isso, Max tem exatamente o estilo que seus pais mais desprezam… E eles nem sonham que a filha vive assim.
Ela fica em apuros quando seus pais a visitam na faculdade e exigem conhecer o futuro genro. A solução que Max encontra para não ser desmascarada é pedir para um desconhecido se passar por seu namorado.
Para Cade, a proposta veio em boa hora: é a chance que ele esperava para acabar com a sua fama de bom moço, que até hoje só serviu para atrapalhar sua vida.
Um faz de conta com data marcada para terminar… E um casal por quem a gente vai adorar torcer. Fingindo vai seduzir você.

separador
Minha Resenha:
Gente, que livro mais fofo. E engraçado. E romântico. E, eu já disse fofo?
Faz mais de 2 anos que li o Perdendo-me (li em inglês, como “Losing It”) e mais uma vez me pergunto: Por que demorei tanto para ler Fingindo?
O livro tem uma leitura fluida, leve, várias vezes dei risadas, ou me segurava para não rir quando estava em um lugar que não podia dar gargalhadas.

É uma comédia? Não, não é. Mas facilmente se classificaria como uma comédia romântica se fosse um filme.
O enredo é clichê, mas é muito bem executado. Cade é o mocinho perfeito, e isso é que garante as risadas, pois nem Max consegue acreditar na perfeição dele.

Ela, uma tatuadora/cantora de cabelo colorido e cheia de tatuagens tem os pais mais caretas que podem existir. Como ela não pode apresentar o seu namorado de verdade, que certamente iria matar seus pais do coração, pede a Cade, que ela descreve como modelo de anuncio de cuecas, um estranho que estava sentado em uma cafeteria para fingir ser seu namorado para seus pais.

Cade, sendo um ator, aceita a proposta e inicia a farsa: vive o namorado perfeito para os pais de Max. Só que Cade não está fingindo, ele é perfeito. Lindo, educado, cavalheiro, faz trabalho voluntário, enfim, o sonho de qualquer mãe e qualquer namorada. Menos de Max, pois pessoas como Cade não se envolvem com pessoas como Max, e isso a deixava cada vez mais confusa com seus sentimentos.

Várias vezes me perguntei como Bliss, a mocinha de Perdendo-me, não se apaixonou por ele, mas daí eu lembrava de Garrick e já sabia a resposta.

Ela falou baixinho e com afeto:
— Você compôs aquela música pra uma menina?
— Você está sugerindo novamente que sou gay?
Fiz que não com a cabeça.
— Não era. Quando decidi fazer alguma coisa a respeito, ela já estava com outra pessoa.
— Então você desistiu?
— Não fazia sentido — eu disse. — Eu não podia competir.
— Bobagem. — Ela apertou o pano com mais força e aproximou um pouco mais meu rosto do dela.
— Você é o Menino de Ouro. Você é bom em tudo. Você é gentil, maravilhoso e provavelmente interrompe tudo o que estiver fazendo para ajudar velhinhas a atravessar a rua. Se você não pode competir, então todos nós estamos completamente fodidos.
Sorri. Ouvi-la dizer que eu era maravilhoso era um bom prêmio de consolação.
— O outro cara é britânico.
Ela jogou a cabeça para trás e riu, e meus olhos se detiveram na curva suave do seu pescoço.
— Sim, você é muito azarado, Menino de Ouro.

É um livro totalmente recomendado e entrou para a minha lista dos fofos favoritos. Ainda bem que ganhei o Encontrando-me de presente e vou poder continuar lendo esta série.

my rating 5 stars

Por Mirela

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s