Resenha: Outlander #2 – Diana Gabaldon

resenha_outlander_2.JPG

Sinopse:
Claire Randall guardou um segredo por vinte anos. Ao voltar para as majestosas Terras Altas da Escócia, envoltas em brumas e mistério, está disposta a revelar à sua filha Brianna a surpreendente história do seu nascimento. É chegada a hora de contar a verdade sobre um antigo círculo de pedras, sobre um amor que transcende as fronteiras do tempo… E sobre o guerreiro escocês que a levou da segurança do século XX para os perigos do século XVIII.
O legado de sangue e desejo que envolve Brianna finalmente vem à tona quando Claire relembra a sua jornada em uma corte parisiense cheia de intrigas e conflitos, correndo contra o tempo para evitar o destino trágico da revolta dos escoceses. Com tudo o que conhece sobre o futuro, será que ela conseguirá salvar a vida de James Fraser e da criança que carrega no ventre?

separador
Minha Resenha:
Eu vou começar reclamando. Sim, porque esta sinopse entrega mais do que devia. É um resumo muito pró-spoiler, o que faz muita gente, como eu, não ler sinopses.

Feita a reclamação vamos a este segundo livro da série Outlander, de Diana Gabaldon. Nossa! Gente do céu, se fiquei apaixonada por esta história em janeiro, fecho 2015 mais apaixonada ainda. A autora sabe muito bem como amarrar um enredo. O livro é looooooonnngo. 935 páginas de muita luta, intriga e mistério. Todavia, o amor de Claire e Jamie nos faz suspirar e virar página por página. E não estou falando apenas no romance sentimental.

“Sua mão pairou sobre a minha tão perto que senti o calor da sua pele. Senti outras coisas também: a dor que mantinha sob rédeas curtas, a raiva e o medo que o sufocavam, e a coragem que o fazia falar apesar de tudo.” (Claire)

A Libélula no Âmbar concretiza o relacionamento deles não só como um casal apaixonado, mas como parceiros, companheiros em busca de mudar os rumos da história e de poupar vidas. Seu início me deixou totalmente sem rumo – tipo: Espera um pouco! Que raio aconteceu aqui? – mas a ambientação lhe esclarece aos poucos o novo rumo da história.

Dessa forma, depois dos perrengues que Jamie passou no final do primeiro livro, Claire segue para França, a fim de dar um pouco de segurança a seu marido. Luiz XV, corte francesa, muitos ardis e conspirações. Nossa dupla não tem folga! Mas mesmo assim, foi essencial para descobrirmos um pouco mais sobre a politicagem e os planos da retomada do reino da Escócia. Se o que lemos antes sobre os jacobitas foi pouco, neste livro temos uma verdadeira aula.

“— Sou uma sassenach, afinal de contas — eu disse, percebendo a ironia. Ele tocou meu rosto de leve com um sorriso melancólico.
— Sim, mo duinne. Mas você é minha sassenach.” (Claire e Jamie)

A verdade é que o enredo extenso é muito bem desenvolvido. A autora mescla ficção e História de uma forma tão convincente, que a leitura se torna contínua. A introdução de novos personagens também agrega novos desafios. E o retorno de outros impulsiona medo e suspense. Eu fiquei bastante temerosa com o retorno de certo personagem, mas a forma que Diana Gabaldon fez e o levou por toda narrativa me deixou surpresa. Muito surpresa mesmo.

Também é impossível não citar a garra de Jamie, que está ainda mais apaixonante. Uma das características mais fascinante deste personagem é sua força. Não da dureza dos músculos, mas do seu caráter. Seja como líder de seu clã ou um mero cidadão, perdoe-me a admiração: ELE É O CARA! E este livro só me deixou mais apaixonada por ele.

“Eu o amo – eu disse baixinho, não para que ele ouvisse, mas apenas pelo simples prazer de dizê-lo.” (Claire)

Em livros como esse, em que a imensidão de páginas assusta, confiar na escrita de um autor talentoso é mais que uma grande aposta. É um grande apoio, apesar do desconforto do peso do livro físico em nossas mãos, que fazemos em prosseguir com a leitura de uma história tão fantástica e profunda que a Diana Gabaldon tem proporcionado.

Ansiosa para o próximo livro: O Resgate no Mar!

my rating 5 stars

Por Camilla Carvalho

4 pensamentos sobre “Resenha: Outlander #2 – Diana Gabaldon

  1. Omg uma alma q não lê sinopses igual a mim kkkkkkk
    Sempre q busco uma resenha qro ler sobre emoções, sentimentos do leitor durante a leitura. Não me conte sobre a historia, qro descobrir td sozinha kkkkk mas eh bem difícil achar resenhas assim. Gostei da sua!
    Eu parei no meio do ano passado esse livro pois tava cansada e a série tava de férias, tenho q me apressar agora kkkkk

    Curtir

    • Hahahahahaha. Medooo de sinopses, Bruna. Evito sempre ao máximo! Grata pelo carinho, querida. Não é nada fácil escrever sobre uma história divina e tão bem desenvolvida como esta que Diana Gabaldon nos deu. E fico na torcida que você continue com sua leitura, porque estáaíum livro que merece nossa atenção sempre. Bjocas e obrigada pela mensagem.

      Curtir

  2. Pingback: Resumo de Leituras de Dezembro e Janeiro |

  3. Pingback: Resenha: Outlander #3- Diana Gabaldon | Cinco Garotas Exemplares

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s